Letras de Marcelo Oliveira - A Tropa Fez Que Se Ia | BUMBABlog

Letras


Letras de A Tropa Fez Que Se Ia de Marcelo Oliveira

Más letras de Marcelo Oliveira



A tropa fez que se ia num canhadão sem costeio
Mas, se não fosse meus cusco, faltava boi no rodeio
Eram dois baios coleras e um brazino cimarrón
Três campeiros de respeito e, ainda por cima, dos bom

Se eu fosse metê o gateado e atropelar aquela ponta
Deixava o resta da tropa desgovernar-se por conta
Foi um pampa de aspa gacha, já com fama de matreiro
Que disparou, mais a diante, entre o chircal do potreiro

Mas foi estender um silvido e um grito de olha a volta
Se apresentaram os campeiros, meus três soldados da escolta

Era um acôo e mais outro, de vez em quando um ganiço
Juntando quem se desgarra, por conta do compromisso
Cachorro que cuida a tropa é quase um campeiro e tanto
Não faltam quando é preciso, e chegam que lhes garanto

Só avistava, de longe, os três pegando de trás
Um atracando a dentada, o outro volteando, no más
Levaram uns cinqüenta metros, o boi pampa num volteio
Depois, a dente e pegada, por conta foi que o boi veio

Depois juntou-se na tropa, meio entendendo o motivo
E eu chamei os companheiros pra sombra abaixo do estrivo
E é bem assim nestes campos, quando se manda, se pega
Cachorro que tem comando não dorme pelas macega

De riba do meu gateado a coisa é bem do meu jeito
Quem pode mais, atropela e os cusco botam respeito

Era um acôo e mais outro, de vez em quando um ganiço
Juntando quem se desgarra, por conta do compromisso
Cachorro que cuida a tropa é quase um campeiro e tanto
Não faltam quando é preciso, e chegam que lhes garanto

A tropa fez que se ia num canhadão sem costeio
Mas, se não fosse meus cusco, faltava boi no rodeio
Marcelo Oliveira A Tropa Fez Que Se Ia 24590 1206605

Comentarios